sexta-feira, 30 de julho de 2010

Rotary Club Marília Alto Cafezal

Ser "companheiro” é  mais do que servir ao próximo, afirmam rotarianos


Integrantes do Rotary Club, mostram como é possível realizar importantes ações sociais através da dedicação e da união entre as pessoas

Por Alexandre Lourenção

Buscar integração e dignidade sociais é o principal lema do Rotary Club em todo o mundo. Mas em Marília, os chamados companheiros que integram o Rotary Club Alto Cafezal, tem se destacado pelo brilhante serviço prestado a várias entidades assistenciais da cidade.
O Jornal da Manhã acompanhou uma tarde desses trabalhos, com o preparo da tradicional feijoada do Rotary e pôde verificar o que acontece nos bastidores do mundo rotariano.
O que chama mais a atenção de quem chega é o ambiente do grupo de amigos, que mensalmente se reúne para discutir os trabalhos, as parcerias e quais as entidades receberão os benefícios daquele mês.
Um dos mais experientes membros do grupo, o empresário Pedro Lobo, disse que o objetivo principal da instituição é servir e não importa a quem. “Todos que estão aqui tem essa necessidade de ajudar ao próximo e o legal é que, apesar das opiniões individuais existirem, a compreensão é uma virtude bem presente dentro do nosso grupo”, afirma Lobo. Segundo ele, a cada evento realizado pelo grupo, o resultado é muito satisfatório, e isso justifica o sonho coletivo.
Durante o preparo da feijoada, que é um dos mais famosos eventos rotarianos, cerca de 60 pessoas (divididas entre companheiros e esposas, amigos e voluntários) se dedicam durante os três dias na elaboração dos alimentos, desde a compra e escolha dos produtos até a montagem das porções para comercialização, que normalmente acontece no domingo.
O clima de harmonia e organização é muito visível para os visitantes, pois os grupos se dividem em diversas tarefas, enquanto um vai cortando e separando os ingredientes, outro vai mexendo os inúmeros caldeirões de feijão, etc.
Um dos voluntários que se mantém firme nos trabalhos é o empresário Aldo Repetti, que há alguns anos, foi convidado a participar das reuniões. “Quando cheguei aqui, a primeira coisa que percebi foi uma forte integração entre as pessoas, o que me fez sentir em casa, disse Repetti. Depois de um tempo e sempre com a ajuda amigos, os rotarianos conseguiram alguns equipamentos industriais e passaram a elaborar três vezes mais refeições. Das 300 que eram feitas, o grupo atingiu a grande marca de 900 porções produzidas. “O bom é que cada amigo de um companheiro ajuda de alguma forma. É muito gratificante estar aqui nesse grupo. Só peço a Deus que dê tudo certo a cada evento, pois, no final é muito bonito. É uma sensação indescritível quando chega no final do dia e conseguimos vender tudo... o clima é de forte emoção e todos nos reunimos e rezamos para agradecer o sucesso da nossa missão” relata emocionado o empresário.
Flávio Dalálio, que freqüenta o Rotary Club Marília Alto Cafezal desde 1990 (dois anos após a fundação) ressalta a qualidade da feijoada produzida pela entidade, que é devidamente orientada por uma nutricionista e que todos os ingredientes são comprados para não haver nenhum tipo de risco alimentar. Durante a entrevista, o bem humorado comerciante, lembra de uma noite longa em que estava junto com os amigos terminando o preparo de uma feijoada, quando às quatro horas da madrugada, ele resolveu “descontrair” o ambiente e foi dar um susto nos colegas, se vestindo como a tal “Mulher de Branco” (personagem de uma lenda que teria sido atropelada e morta por um caminhoneiro que não prestou socorro e, que então, vivia assombrando as estradas brasileiras). Ele lembra que na época, era o assunto na imprensa nacional. Dalálio saiu pelos fundos sem que ninguém percebesse, foi até o portão principal e começou a chamar e gritar na frente do prédio que ele (a Mulher de Branco) queria a feijoada. Segundo relata, diante da situação e assustados, os companheiros trancaram as portas e janelas e ninguém foi atender o portão. Em seguida, Flávio voltou com as roupas nas mãos e explicou que se tratava de uma brincadeira, tanto que deixou um recado escrito no espelho do banheiro masculino: “Eu amo todos vocês, meus irmãos”.
Dalálio disse que para ele, o Rotary é uma extensão da sua casa e que a esposa e os filhos também participam dos muitos eventos realizados.

A História do Rotary

Rotary é uma organização de líderes de negócios e profissionais, unidos no mundo inteiro, que prestam serviços humanitários e ajudam a estabelecer a paz e a boa vontade entre os povos. O significado veio do idioma inglês, que é rotativo, giratório, circulatório e nasceu no início do século XIX, em Chicago – EUA (cidade então dominada pela ignorância e egoísmo, crimes e vícios) através do jovem advogado Paul Percy Harris, que percebeu a urgente necessidade das pessoas fazerem amigos que se ajudassem mutuamente.
Em 1917, passou a a se chamar Rotary International e no final do mesmo ano, foi fundado o primeiro Rotary Club do Brasil, no Rio de Janeiro. Em Marília, desde 1988 (Alto Cafezal) a organização já ajudou diversas entidades, como o abrigo de idosos Mansão Ismael, a Associação Filantrópica, a Creche da Juventude Católica, a Fundação Municipal de Ensino Superior (FUMES), o Educandário Bento de Abreu S. Vidal, Hospital Espírita, o Instituto de Oftalmologia da Faculdade de Medicina, O Amor exigente (auxilia as famílias de dependentes químicos) e o centro Espírita João de Camargo. O Rotary ajuda ainda na manutenção de um Banco de Cadeiras de Rodas e Muletas, que cede gratuitamente esses equipamentos às pessoas necessitadas.
Um dos maiores eventos do Rotary é a Festa da Criança e, há 13 anos, reúne centenas de crianças de Marília e região. Durante todo o dia, elas participam de brincadeiras e recebem muitos presentes. Há também uma intensa freqüência de jovens no Programa de Intercâmbio Internacional.
Para os interessados em conhecer mais sobre o Rotary Club Marília Alto Cafezal, a sede social fica na avenida Brigadeiro Eduardo Gomes, 3255, Vila Romana. O telefone é (14) 3422-3622 e o site é www.rotaryaltocafezal.org.br.

2 comentários:

  1. hola,el señor sampaio vidal era primo hermano de mi padre don carlos domingo vidal,argentino de entre rios(rosario de tala)nos trajo lindos recuerdos verlo por internet tenemos una foto hermosa del sr sampaio vdal autografiada del año 1944,me llamo alicia vdal y mi correo es aliciayalberto@hotmail.com,quedo a disposicion de familiares que la pidan cariños alicia vidal.

    ResponderExcluir